Uma mãe de acolhimento, que foi impedida de adotar a criança que criou durante quatro anos, voltou a ver o filho. Passaram 30 anos e o reencontro aconteceu graças ao Facebook.
 
 
 

A espanhola Yeny Zaera fez uma publicação na rede social no dia 20 de fevereiro, onde escreveu um texto e publicou uma foto com menino ao colo. Contou a história e pediu aos amigos: «se reconhecerem esta cara digam-me alguma coisa».



O apelo da mulher foi partilhado por 70 mil pessoas. Três dias depois, Francisco foi localizado.

O reencontro aconteceu no sábado. Francisco, o filho que nunca foi adotado, falou ao El País:

«Lembro-me do dia em que me levaram, de chorar no banco de trás do carro a pensar na Yeny. Nunca me esqueci dela. Sempre a encarei como minha mãe e sempre senti que estávamos juntos. Quando voltei a falar com ela e li os textos, as fotos e o vídeo que publicara senti-me felizardo e admirei todo o esforço que tinha feito para me encontrar».


Há 30 anos, a tentativa de adoção falhou porque Yeny era solteira, não tinha emprego fixo e era demasiado jovem. Hoje, diz-se feliz por já poder ligar a Francisco no dia de aniversário, porque «nas últimas décadas, queria fazê-lo e não podia».