O papa Paulo VI, que esteve à frente da Igreja Católica durante o difícil período após o Concílio do Vaticano II, será beatificado a 19 de outubro, no encerramento do sínodo (assembleia de bispos) sobre a família, anunciou hoje o Vaticano.

A canonização já tinha esta data prevista, mas o evento tem um grande valor simbólico pela beatificação do homem que encarnou o concílio que levou à abertura da Igreja ao mundo, o concílio do Vaticano II (1962/65), coincidindo ainda com o fim de um sínodo muito sensível, temido pela maioria dos conservadores da Igreja pelos possíveis efeitos sobre os dogmas.

O papa Francisco presidirá nesta ocasião a uma missa que reunirá, na praça de São Pedro, cardeais, bispos - que estiveram no sínodo – prelados e fiéis que irão render homenagem a Paulo VI.

O papa Francisco exprime muitas vezes o seu grande respeito por Giovanni Battista Montini (Paulo VI – entre 1963 e 1978), que levou adiante as reformas do Concílio do Vaticano II, que foi realizado no papado de João XXIII.

A 27 de abril, os papas João Paulo II e João XXIII foram canonizados, numa cerimónia na praça de São Pedro.
A beatificação de Paulo VI poderá ser apenas um passo para a sua posterior canonização.