A secção Stereo do festival de cinema Curtas de Vila do Conde arranca esta segunda-feira com a atuação de White Haus, o primeiro de quatro filmes-concerto da 21ª edição, escreve a agência Lusa.

As outras propostas de interceção entre o cinema e a música são de Vítor Rua, Rita Redshoes e The Legendary Tigerman, com música para filmes de Paulo Abreu, Alex Puddu (filmes pornográficos dinamarqueses), e os Zelig para o filme «Bucking Broadway», de John Ford.

«White Trash/White Heat» é o nome do espetáculo de João Viera, sob o pseudónimo de White Haus (com a participação de vários músicos convidados), que se inspirou na Nova Iorque dos anos 1970 para criar música para a trilogia cinematográfica de Paul Morrissey «Flesh», «Trash» e «Heat» (1968-1972).

Dois filmes recentes de Paulo Abreu - «Barba» e «O Facínora» - são apresentados na terça feira com bandas-sonoras originais: a primeira do músico Vítor Rua e a segundo da dupla The Legendary Tigerman e Rita Redshoes, que assim regressam ao festival.

«Barba» é uma alegoria, filmada em Super 8, de Portugal e do comportamento do seu povo; enquanto «O Facínora» é uma curiosa reconstrução histórica da memória de um engenheiro e cineasta amador alemão que passou por Guimarães em 1920.

Na quarta-feira, o Curtas regressa à década de 1970 para resgatar os filmes de Freddy Weiss que, como muitos outros da florescente indústria do cinema pornográfico dinamarquês da época, ficaram esquecidos, até ao dia em que o multi-instrumentista e compositor Alex Puddu recebeu uma encomenda para compor bandas sonoras para uma edição DVD de alguns dos filmes de Weiss.

É este espetáculo, «The Golden Age of Danish Pornography» que o Curtas de Vila do Conde apresenta ao vivo numa aproximação mais jazzística e improvisada a um universo musical no qual as principais referências são o funk, o easy listening e a library music.

O último concerto, na quinta-feira, é uma encomenda do festival aos Zelig, (banda com ex-elementos dos Ornatos Violeta e Pluto), que fizeram uma nova banda sonora original para «Bucking Broadway» do mítico John Ford.

Durante muito tempo tido como desaparecido, tal como aliás a grande maioria dos filmes do período mudo de John Ford, «Bucking Broadway» é o sexto filme do lendário realizador americano. Foi restaurado e digitalizado em 2002, na sequência da sua descoberta pelos arquivos do CNC (Centro Francês de Cinematografia).