O tráfego total de voz originado na rede fixa durante o quarto trimestre de 2008 foi de cerca de 2.077 milhões de minutos, resultantes de cerca de 669 milhões de chamadas, com crescimentos de 5,8% e 3,3%, respectivamente, face ao trimestre anterior, «devidos a factores sazonais», diz a Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM).

Em termos homólogos registou-se uma quebra, tanto ao nível dos minutos como do volume de chamadas.

No que diz respeito ao tráfego em minutos, a descida homóloga do tráfego é explicada, pela queda acentuada (44,8%) do tráfego de acesso à Internet dial-up, motivada, entre outras razões, pela forte expansão do acesso à Internet através de tecnologias de banda larga e pela redução do tráfego de voz.

PT regista descida nas quotas do tráfego de voz

No que concerne ao tráfego em chamadas, a descida do tráfego total relativamente ao mesmo período do ano anterior é, sobretudo, resultado da diminuição do tráfego de voz tradicional.

No que respeita ao tráfego associado ao serviço de VoIP verifica-se que o seu peso relativamente ao tráfego total aumentou face ao período anterior, situando-se nos 3,6% em termos de minutos e em 2,3% ao nível das chamadas.

As empresas do Grupo Portugal Telecom que actuam nestes mercados continuam a deter a maioria dos acessos instalados. No final deste período, o Grupo PT detinha 68,4% do total dos acessos instalados a pedido de clientes, menos 0,5 pontos percentuais do que no trimestre anterior e menos 3 pontos percentuais que no final do período homólogo.

A Sonaecom tinha 16,3% dos acessos, a Cabovisão 6,7%, a Zon 4,2%, a Oni e a Vodafone tinham 1,7% cada.

O número de clientes de serviço telefónico fixo na modalidade de acesso directo era de aproximadamente 3,14 milhões, registando um aumento de 0,1% em relação ao trimestre anterior e uma redução de 1,9% em termos homólogos.