Uma horta de cozinha entregue em casa, pronta a montar, com tudo para começar a cultivar plantas, frutas ou vegetais é a proposta que três jovens trouxeram de Perpignan, em França, para mostrar na Web Summit.

"Trata-se de uma horta de cozinha inovadora que inclui um depósito de água no fundo e que quando está cheio tem quinze dias de autonomia, o que permite ir de férias sem problema", explicou à Lusa Romain Ibane, da empresa "Haut Potager", uma das muitas que estão nos corredores de exposição da cimeira em Lisboa.

O "jardim", assemelha-se a uma caixa construída com tábuas de madeira e é entregue em casa dos clientes, em qualquer parte do mundo, com um "kit" que inclui as primeiras sementes e o solo para cultivar, sendo muito fácil de montar, garante Romain.

Uma das ideias que esteve na origem do projeto, que começou a ser concebido há dois anos e ficou pronto há cinco meses, é promover a ligação das famílias com a natureza, em detrimento da tecnologia, nomeadamente, dos jogos de computador.

"Muitas pessoas estão ligadas apenas à tecnologia e coisas digitais, mas não se preocupam com a natureza e nós queremos ligá-las com a natureza e mostrar como as plantas e os frutos crescem e não apenas ir comprá-las ao supermercado", explicou.

Segundo o jovem empreendedor, o tanque de água instalado no fundo da caixa, com capacidade para aproximadamente 80 litros de água, permite poupar cerca de 80% do uso de água, porque não há perdas de drenagem ou através da evaporação.

"A água que se põe lá dentro mantém-se lá e só alimenta as plantas na quantidade em que estas precisam", referiu, indicando que a autonomia do tanque pode elevar-se para 20 ou 25 dias caso se tratem de ervas aromáticas, que precisam de menos água.

Romain Ibane garante que o "kit" - entregue em duas caixas, que totalizam 50 quilos, mas, depois de montado, pode chegar aos 150 quilos -, é "muito fácil de montar" e que até as crianças "conseguem fazê-lo sozinhas".

Até agora, a "Haute Potager" já vendeu 500 unidades do produto, que custa 250 euros, sem custos de transporte, mas no próximo ano quer aumentar as vendas para duas mil ou três mil unidades.

Os jovens empreendedores estão agora a desenvolver uma aplicação, que deverá ser lançada em fevereiro do próximo ano, para explicar aos clientes os passos para o cultivo e quais as estações apropriadas, consoante os produtos.

A Web Summit decorre até quinta-feira, no Altice Arena (antigo Meo Arena) e na Feira Internacional de Lisboa (FIL), em Lisboa.

Segundo a organização, nesta segunda edição do evento em Portugal, participam 59.115 pessoas de 170 países, entre os quais mais de 1.200 oradores, duas mil 'startups', 1.400 investidores e 2.500 jornalistas.

A cimeira tecnológica, de inovação e de empreendedorismo nasceu em 2010 na Irlanda e mudou-se em 2016 para Lisboa por três anos, com possibilidade de mais dois de permanência na capital portuguesa.