A China conseguiu fazer aterrar este sábado uma sonda espacial na Lua, pela primeira vez, numa proeza só realizada até agora pela Rússia e pelos Estados Unidos.

A alunagem da sonda «Chang'e-3», transmitida em direto pela televisão chinesa, ocorreu às 21:12 (13:12 em Lisboa).

A sonda, lançada no passado dia 02 de dezembro, transporta um veículo robotizado, o «Yutu» (Coelho de Jade), que já está no solo e irá proceder a diversas investigações científicas.

Foi também a primeira alunagem do século XXI e a primeira vez que a China conseguiu colocar uma sonda num corpo celestial.

A «Chang'e-3» começou a desacelerar quando se encontrava a 15 quilómetros da superfície da Lua, num processo que iria durar doze minutos e sem qualquer intervenção exterior à sonda, publicou a agência noticiosa oficial chinesa, citando as autoridades espaciais.

«Chang'e», em chinês, significa «Deusa da Lua».

Há duas semanas, o porta-voz da Administração Estatal para a Ciência, Tecnologia e Indústria de Defesa Nacional, Wu Zhijian, considerou a missão da Chang'e-3 «a mais complexa» jamais realizada pelo programa espacial chinês.

O veículo robotizado que vai a bordo da sonda, o «Yutu», tem seis rodas e está equipado com quatro câmaras e dois «braços» mecanizados. Pesa 140 quilogramas e move-se a energia solar.

As tarefas atribuídas ao «Yutu» incluem o estudo da estrutura geológica e das substâncias existentes na superfície, bem como a pesquisa de recursos naturais.