O telescópio espacial Kepler detetou 715 novos exoplanetas - planetas fora do Sistema Solar -, quatro deles potencialmente habitáveis, anunciou hoje a NASA.

Com o anúncio, eleva-se para perto de 1.700 o número de exoplanetas confirmados, num universo de mais de 3.600 potenciais, precisou a agência espacial norte-americana.

De acordo com a NASA, cerca de 95 por cento dos novos planetas extra-solares são mais pequenos do que Neptuno, que é quase quatro vezes maior do que a Terra.

Os 715 exoplanetas orbitam 305 estrelas.

Quatro dos novos planetas identificados fazem 2,5 vezes o tamanho da Terra e localizam-se a uma distância habitável da sua estrela, com uma temperatura que permite a existência de água e, potencialmente, a vida.

Um dos exoplanetas potencialmente habitáveis, chamado Kepler-296f, situa-se em torno de uma estrela com metade do tamanho do Sol. Os cientistas ignoram se o planeta é gasoso ou não.

O Kepler foi lançado em 2009 para detetar mais de 150 mil estrelas semelhantes ao Sol, localizadas nas constelações do Cisne e da Lira, e encontrar planetas-irmãos da Terra.

O telescópio avariou-se em meados de 2013.

Segundo Douglas Hudgins, da Divisão de Astrofísica da NASA, a maioria dos novos exoplanetas foi identificada nos últimos cinco anos.