Investigadores do Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL) vão estudar, até 2016, os ventos de Vénus, através de observações espaciais feitas a partir da Terra, anunciou hoje a instituição.

O estudo insere-se no projeto EuroVenus, financiado pela Comissão Europeia e no qual participam, além do CAAUL, institutos de França, Bélgica, Reino Unido e Alemanha.

Em declarações à agência Lusa, o coordenador da equipa de investigadores do CAAUL, David Luz, explicou que o projeto pretende dar continuidade ao trabalho feito pela missão Venus Express e estudar o planeta a partir de observações com telescópios em Terra, nomeadamente com o ALMA, considerado o maior radiotelescópio do mundo.

David Luz lembrou que Venus continua "a encerrar muitos mistérios", como a forma como é mantida a rotação muito rápida da sua atmosfera, com ventos que dão a volta ao planeta em cerca de quatro dias.

O investigador adiantou que, ao abrigo do mesmo projeto, serão estudadas, também, as nuvens, que "ajudam a criar o forte efeito de estufa" do planeta, onde a temperatura atinge os 460ºC à superfície.

Apesar de ser semelhante à Terra, devido ao seu tamanho, massa e composição, Vénus tem uma densa atmosfera, constituída essencialmente por dióxido de carbono, que torna o planeta hostil a qualquer forma de vida.