A Transparência e Integridade - Associação Cívica (TIAC) disponibilizou esta terça-feira um canal na internet para que cidadãos possam reportar, de forma segura e confidencial, suspeitas de casos de corrupção.

A Provedoria TIAC - Alerta Anticorrupção - disponível no sítio www.transparencia.pt - presta igualmente aconselhamento gratuito e confidencial a vítimas e testemunhas de corrupção.

«É um espaço seguro para que as queixas sejam ouvidas e os cidadãos possam ter aconselhamento gratuito sobre a forma mais eficaz de reportarem os casos que conheçam», como frisou o diretor executivo da TIAC, João Paulo Batalha.

A área na internet «encoraja e auxilia os cidadãos a fazer valer os seus direitos e a reportarem, junto das autoridades competentes, suspeitas de corrupção e abuso».

«A corrupção triunfa no silêncio. Este serviço serve precisamente para darmos apoio aos cidadãos que não se conformam com a corrupção e estão determinados a reportar suspeitas e levar casos concretos ao conhecimento das autoridades. Queremos dar voz aos funcionários públicos, aos pequenos empresários e ao cidadão comum que, muitas vezes, se confrontam com a corrupção no seu trabalho todos os dias, mas não se sentem seguros para reagir», referiu.

João Paulo Batalha sustentou ainda que «só com uma cultura de integridade e intransigência contra os abusos» se conseguirá «vencer o combate contra a corrupção».

O primeiro evento de divulgação da Provedoria TIAC - Alerta Anticorrupção correrá a 09 de dezembro, Dia Internacional Contra a Corrupção.

A área é um serviço integrado na rede de centros de aconselhamento jurídico criada pela organização não-governamental anticorrupção Transparência Internacional, com mais de 60 países representantes em todo o mundo.

Em Portugal, o projeto faz parte de programa financiado pela Comissão Europeia.