Tim Armstrong, diretor da AOL, despediu um dos seus funcionários, após este ter tirado uma fotografia durante uma teleconferência, na passada segunda-feira. Mas, entretanto, assumiu que estava arrependido, escreve a CNN.

Abel Lenz, diretor criativo da Patch, uma rede de notícias local da AOL, tentou tirar uma fotografia a Tim Armstrong, durante uma videochamada e foi, de imediato, despedido, em direto, frente a todos os colegas. Curiosamente, a videoconferência era sobre o futuro da Patch.

No dia seguinte, terça-feira o CEO da AOL enviou um memorando interno aos seus funcionários onde assume que a demissão de Lenz «foi um erro». Pouco tempo depois, o documento chegou aos órgãos de comunicação social.

«Foi uma resposta emocional, porque estávamos no início de uma discussão difícil... Sobre o futuro, as carreiras e os meios de subsistência de muitas pessoas», escreveu Armstrong.

A empresa decidiu reduzir o número de sites que possui de 900 para 600. Isto significa que muitos funcionários da Patch terão de sair, escreve a CNN.

«Do ponto de vista humano foi injusto para Abel» considera Tim que «se desculpou pessoalmente pela forma como o assunto foi tratado». No entanto, Abel Lenz continua no desemprego.

O CEO explica que todos tinham sido avisado que não deviam gravar reuniões confidenciais, para que todos se sentissem livres de falar.