O segundo diário mais lido de Seattle, o «Seattle Post-Intelligencer» vai encerrar a sua edição em papel e passará apenas a estar disponível online. O diário iniciou, na semana passada, um processo de negociações, com os 181 funcionários para uma resolução provisória que prevê a transferência de alguns dos jornalistas para online, noticia o El País.

A «Hearst Corporation», empresa proprietária do título, tinha anunciada no dia 9 de Janeiro que pretendia vender o diário em 60 dias e se não conseguisse fazer encerraria a edição em papel e manteria apenas a página online, o que acabou por acontecer. Na terça-feira, David Horsey, desenhador e caricaturista do «Post-Intelligencer», galardoado com o prémio «Pulitzer», revelou em entrevista ao Washington Post que «a edição impressa lançará a sua última edição nos próximos oito dias ou antes».

O «Seattle Post-Intelligencer» foi fundado em 1863 e tem uma circulação de 117 mil exemplares diários. Desde 2000 que acumula perdas, incluindo uma dívida de 14 mil euros só no ano de 2008.

Entretanto, o «New York Times» anunciou terça-feira um acordo para a venda de 21 pisos de escritórios da sede de Manhattan. O contrato de venda, no valor de 178 milhões de euros, dá a jornal o direito de reverter a venda no ano de 2019. O diário de Nova Iorque tem neste momento uma dívida de 790 milhões de euros.