O ministro da Cultura afirmou que pretende alargar a oferta de canais na televisão digital terrestre (TDT) e que está a estudar com "as entidades competentes" essa possibilidade.

Luís Castro Mendes falava esta terça-feira na comissão parlamentar de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto, no âmbito de uma audição regimental.

Sobre a TDT, "temos uma posição aberta, queremos estudos rigorosos sobre a capacidade efetiva, em termos técnicos", de aumento do número de canais, disse o governante. Atualmente, a oferta da TDT (plataforma gerida pela Meo, da PT Portugal) assenta em quatro canais: RTP1, RTP2, SIC e TVI, mais o canal Parlamento.

Queremos aumentar o número de canais na TDT, como o vamos fazer depende da questão técnica", ou seja, da capacidade do MUX (bolsa de canais).

Castro Mendes disse ser objetivo do Governo que a RTP3 e a RTP Memória estejam disponíveis na TDT. "Mas também gostaríamos de que os privados tivessem acesso à TDT, estamos a trabalhar no assunto", afirmou o ministro da Cultura, que adiantou ter conhecimento das várias iniciativas legislativas que estão em discussão no parlamento.

"Obviamente acompanhamos e lemos com atenção essa matéria", afirmou, recordando que o alargamento da oferta de canais em sinal aberto consta do programa do PS.

Estamos a estudar com as entidades competentes, com as reguladoras e com as empresas, essa possibilidade de alargar o leque da TDT", salientou.