O avião Solar Impulse 2 (SI2) dirige-se esta terça-feira para a Índia, no primeiro grande trajeto marítimo programado no projeto que pretende tornar esta aeronave, movida por energia solar, a primeira a dar a volta ao mundo.

Os pilotos suíços Bertrand Piccard e André Borschberg partiram da capital de Omã, Mascate, e passarão por todo o Mar da Arábia até chegar a Ahmedabad, na Índia, num percurso de 1.465 quilómetros e 16 horas.

Oito horas depois da descolagem (às 02:35 em Lisboa), o avião já estava a sobrevoar a costa paquistanesa, de acordo com a conta de Twitter de Piccard.

O avião Solar Impulse 2, movido inteiramente a energia solar, descolou na segunda-feira de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, marcando o início da primeira volta ao mundo de uma aeronave unicamente solar.

O SI é alimentado por mais de 17.000 células solares que revestem as suas asas de 72 metros, mais compridas que as de um Boeing 747 e quase tão compridas como as do gigante Airbus A380 mas, por ser concebido em fibra de carbono, pesa apenas 2,5 toneladas, menos de 1% do peso de um A380.

A volta ao mundo do avião experimental, com 12 etapas programadas, é o culminar de 12 anos de investigação realizada por André Borschberg e Bertrand Piccard que, além da exploração científica, procuram transmitir uma mensagem política.

A ideia do projeto, segundo os seus idealizadores, é encorajar a substituição de tecnologias que poluem empregadas na aviação por formatos limpos e eficientes.

A aeronave deve fazer escalas em Omã, Índia, Birmânia e China antes de cruzar o Pacífico em direção ao Havai, nos Estados Unidos.

Ainda nos Estados Unidos, os pilotos dirigem-se ao Arizona e, depois, a Nova Iorque. Em seguida, cruzam o Atlântico rumo à Europa ou Marrocos antes de encerrar a viagem em Abu Dhabi, no final de julho.