Todos os animais e plantas vão desaparecer da Terra nos próximos mil milhões de anos, refere um estudo citado pela Sky News. Não terá como causa o excesso de dióxido de carbono, mas sim a sua escassez na atmosfera.

Atualmente, peritos tentam descobrir métodos para travar os gases com efeito de estufa para prevenir o aquecimento global. Contudo, à medida que o Sol envelhece e se torna mais quente, maior evaporação e reações químicas farão desaparecer o dióxido de carbono.

Cientistas afirmam que, em menos de mil milhões de anos, esses níveis serão tão baixos que não permitirão a fotossíntese das plantas, acabando com a vida no planeta. Os animais herbívoros morrerão e os carnívoros consequentemente também.

Jack O'Malley-James, astrobiólogo na Universidade de St. Andrews, refere que «todas as coisas vivas requerem água líquida, mas se alguma restasse nessa altura estaria limitado a pequenas bolsas de água, provavelmente geladas e a grandes altitudes ou em poços subterrâneos».

Os sobreviventes teriam ainda que habituar-se a altas temperaturas e intensa radiação ultravioleta.

Estes pressupostos são feitos com base numa simulação computorizada do impacto a longo-prazo das mudanças do Sol na Terra.