Na semana em que a série de televisão “Star Trek” completou 50 anos, revemos sete tecnologias que a tripulação da USS Entreprise previu e que se concretizaram.

Na série, criada em 1966, os personagens capitão Krik, Spock e outros, mostravam a cada episódio ideias inovadoras para a época. Umas fazem hoje parte do nosso quotidiano. Outras, como o teletransporte, continuam a não passar da ficção.

Eis algumas das previsões corretas:

1. O telemóvel

Na década de 70, os telemóveis não passavam de ficção científica. Na série, o capitão Kirk comunicava com o resto da tripulação através de um intercomunicador, um aparelho que podia ser aberto e que permitia que ele falasse com o interlocutor apenas chamando-o pelo nome.

O inventor do aparelho, Martin Cooper, reconheceu que teve a ideia ao assistir a um dos episódios da série e a primeira chamada através de um telemóvel acaba por acontecer em 1973.

2. O computador pessoal

Na altura, os computadores eram enormes e caríssimos. Mas, na série, o computador pessoal era parte do dia-a-dia das personagens.

E, apesar de a ideia de ter um computador pessoal que podia ser utilizado a qualquer altura fosse um absurdo, a série mostrava computadores de escritório e de uso pessoal. Ainda que fossem bem maiores do que aqueles que conhecemos hoje, “Star Trek” já previa que não dependessem de fios.

3. O tablet

Personagens como o capitão Kirk surgiram em alguns episódios a utilizar um aparelho com touchscreen muito semelhante ao tablet que hoje conhecemos.

Esta tecnologia surgiu no mercado em 1989, mas sem grande sucesso. Só duas décadas mais tarde, aquando do lançamento do iPad, da Apple, estes aparelhos começaram a tornar-se mais comuns.

4. Tomografia e ressonância

Dr. McCoy, outro membro da tripulação da USS Enterprise, tinha um pequeno aparelho portátil que era capaz de fazer um diagnóstico sem precisar cirurgias no corpo de uma pessoa.

Hoje, temos a tomografia computadorizada, a ressonância magnética e vários outros tipos de diagnóstico por imagens, ainda que não sejam aparelhos tão pequenos como o de McCoy.

5. O GPS

Ainda que ainda não nos consigamos teletransportar, como faziam os personagens da série, utilizamos uma tecnologia parecida para chegar a determinados lugares: o GPS, que utiliza sistemas de localização semelhantes aos usados pela máquina futurista criada por Roddenberry.

6. Memórias USB

Há 50 anos, na série “Star Trek”, os personagens usavam pequenos discos quadrados de 7 centímetros que inseriam no computador central e que guardavam dados.

Hoje, as memórias USB para armazenamento de documentos, fotos e vídeos, são parte do nosso dia-a-dia, ainda que mais pequenas.

7. Ecrãs planos gigantes

Não precisamos recuar muito tempo para nos recordar que as televisões que tínhamos em casa eram pesados aparelhos e de ecrã reduzido.

Hoje, as televisões têm ecrãs planos e finos e são cada vez maiores, tal como os monitores da USS Entreprise.