Um estudo recente concluiu que os riscos de aparecimento de doenças cardíacas, problemas arteriais e alguns tipos de cancro podem ser drasticamente reduzidos e até eliminados com apenas uma hora diária de exercício físico moderado. O estudo, dirigido especialmente a "funcionários de escritório", revela quão benéfica pode ser a introdução da atividade física na rotina daqueles que levam um estilo de vida mais sedentário.

A investigação, liderada por Ulf Ekelund, professor na Universidade de Cambridge e na Escola Norueguesa de Ciências Desportivas, teve por base dados relativos ao estilo de vida de um milhão de pessoas. No grupo de pessoas submetidas ao estudo, estavam muitos "funcionários de escritório", sendo que 60% apresentava fortes riscos de morrerem relativamente cedo.

Os cientistas concluíram que estar sentado durante oito ou mais horas, sem o mínimo de atividade física, faz aumentar significativamente os riscos de morte prematura.

Também as doenças de coração, os problemas de tensão arterial e alguns tipos de cancro se revelaram diretamente relacionados com a falta de atividade física, segundo o jornal The Independent.

Concluímos que uma hora de exercício físico por dia, seja uma leve caminhada ou um breve passeio de bicicleta, trava a ligação entre o sedentarismo e a morte", explicou o investigador, segundo o The Independent. "Pode dividir o exercício ao longo do dia, desde que no total some uma hora de atividade física", completou.

Assim, o estudo surge também como um apelo a que as empresas e os escritórios permitam que os funcionários quebrem, nem que seja por cinco minutos, as longas horas em que têm que permanecer sentados, quer seja para se dirigirem à máquina da água ou apenas para espairecer.