A empresa japonesa de investigação ALE está a conduzir testes para produzir uma chuva de meteoros na sessão de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

O projeto “Sky Canvas” pretende ir além do tradicional fogo de artificio para criar um espetáculo que, se correr como previsto, poderá ser visível num raio de 100 quilómetros da cidade, área onde vivem cerca de 30 milhões de pessoas.

Segundo informação disponível no site do projeto, a ALE quer lançar um satélite “carregado com 500 a 1.000 partículas” de vários elementos – lítio, cobre, ou cálcio, de forma a produzir várias cores – que serão libertadas quando o satélite estiver em órbita. As partículas deverão, depois, percorrer uma distância equivalente a um terço da circunferência da terra, antes de entrarem na atmosfera, onde acontecerá o ponto de ignição e a consequente chuva de meteoros.

De acordo com o site Core 77, os investigadores simularam a entrada das partículas na atmosfera em laboratório colocando-as num “ambiente de vácuo, pulverizando-as com gases quentes a velocidades supersónicas.”

O satélite deverá ser lançado na segunda metade de 2017.