Enquanto prossegue a recolha de milhões de unidades do Samsung Galaxy Note 7, houve mais dois casos de problemas com a bateria desses equipamentos, provocando incidentes que colocaram em perigo os utilizadores.

Apesar de a companhia ter feito uma nova revisão aos aparelhos no mês passado, dois utilizadores do telemóvel Galaxy Note 7 foram vítimas de mais uma avaria, quando os seus equipamentos pegaram fogo.

Arderam depois de revistos

Os dois incidentes com Galaxy Note 7 ocorreram, recentemente, no Estado de Kentucky, nos Estados Unidos.

Na cidade Nicholasville, um homem inalou uma grande quantidade de fumo, após o telemóvel ter ardido durante a noite. Teve de ser socorrido no hospital. Michael Klering, dono do aparelho, em declarações à BBC, afiançou que este não estava ligado ao carregador. Terá havido um problema de aquecimento na bateria, precisamente o que tem levado a Samsung a fazer uma revisão aos equipamentos.

Também nos EUA, um outro Galaxy Note 7 ardeu, quando o seu utilizador estava a bordo de um avião da companhia Southwest. Foi necessário evacuar o aparelho.

Segundo a imprensa norte-americana, os dois telemóveis já faziam parte do lote de substituição.

O meu telemóvel era supostamente uma substituição e pensei que estava a salvo", reclamou o proprietário em entrevista à TV WKYT.

A marca sul-coreana Samsung decidiu suspender, temporariamente, a produção do modelo, enquanto prossegue com uma campanha de revisões à escala mundial.

Em causa estão so problemas detetados no Galaxy Note 7 e o insucesso do modelo com as consequências inevitáveis na na reputação da Samsung