Uma britânica de 26 anos decidiu abandonar o ensinopara se dedicar totalmente ao jogo do momento. Sophia Pedraza dava aulas particulares de matemática, música e inglês, mas decidiu abandonar o ensino para se dedicar a uma nova paixão, que se tem demonstrado rentável: o jogo Pokémon Go.

A professora ganhava cerca de 2000 euros por mês, mas considera que o mercado do Pokémon Go se está a tornar rentável não só para a Nintendo, a empresa detentora da aplicação. No eBay – um site que se dedica à venda de todo o tipo de objetos e serviços, há publicações onde se vendem contas do jogo - onde os personagens ascendem até ao nível 20 - por cerca de mil euros.

A ex-professora pretende comprar vários smarthphones e jogar várias horas por dia, com o objetivo de chegar aos níveis mais altos do jogo e depois vender a conta a alguém que tenha interesse.

Se dedicar o meu tempo ao jogo posso chegar ao nível 15 depois de um dia ou dois. Planeio comprar mais smartphones para jogar com várias contas de uma só vez", contou a professora ao jornal The Telegraph. "Há vezes em que jogo 18 horas num só dia porque pode-se jogar sempre, até quando estamos com amigos em bares ou discotecas."

A professora de 26 anos garante que pode sempre “regressar ao ensino” se o interesse pelo jogo diminuir.

Contudo, algumas contas do Pokémon Go já foram removidas por os seus titulares não cumprirem o acordo estipulado com a empresa criadora do produto. Nas condições de utilização está expressa a proibição de utilizar o jogo para fins comerciais, fazendo com que a venda de contas não seja aceite pela administração da Niantic Labs.  

Este não é o primeiro caso de alguém que deixa o emprego pelos Pokémons. Na semana passada, um jovem neozelandês demitiu-se para conseguir viajar e “caçar” todas as criaturas do jogo.