Os agricultores vão poder doar os seus produtos a instituições de solidariedade através de uma plataforma digital que vai estar disponível a partir de hoje, disse à Lusa Isabel Jonet, uma das promotoras da iniciativa.

A presidente da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares e mentora da Entrajuda, uma organização que apoia instituições de solidariedade social, explicou à agência Lusa que o projeto surge no âmbito da plataforma Dar e Receber, com o objetivo de lutar contra o desperdício alimentar.
 

“Pareceu-nos que seria oportuno desafiar os agricultores portugueses para que coloquem, num ‘site’ na Internet, todos os seus excedentes e todos os produtos agrícolas que não podem por alguma razão ser comercializados ou que não encontram no mercado um preço que compense a sua apanha”, salientou.


O novo pilar “Produtos Agrícolas” vai estar alojado na plataforma Dar e Receber que já tem registadas mais de 4.200 instituições de solidariedade.
 

“Aqui, as instituições podem procurar os agricultores que na sua região querem dar produtos agrícolas”, mas também por “qualquer pessoa que tenha uma árvore no seu jardim” e queira doar frutos, detalhou Isabel Jonet, sublinhando que se pretende “criar uma dinâmica de luta contra o desperdício que é transversal a toda a sociedade”.


Ao ser colocada uma doação numa determinada região, todas as instituições locais são alertadas por email, acrescentou.

Além da Entrajuda, a parceria, que vai ser hoje apresentada publicamente, envolve a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) e a Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares.