O antigo pergaminho hebreu é extremamente frágil e foi digitalizado e desembrulhado pela primeira vez, revelando a mais antiga cópia já encontrada de uma escritura da Bíblia do Antigo Testamento.

Investigadores anunciaram que se trata do pergaminho Ein Gedi, que incluiu textos do Livro de Levítico. Segundo um relatório publicado na revista Science Advances, análises de radiocarbono revelaram que terá sido escrito por volta dos séculos III ou IV século.

Alguns especialistas pensam, contudo, que poderá ser ainda mais antigo, devido ao estilo de escrita e à forma como as letras estão desenhadas.

"Descoberta significativa"

De acordo com a revista, decifrar o conteúdo do pergaminho, agora que está digitalizado, será uma “descoberta significativa da arqueologia bíblica”.

Os investigadores pensavam que o pergaminho estava perdido, porque foi queimado no século VI e era impossível tocar-lhe sem se dissolver em cinza.

O pergaminho foi encontrado por arqueólogo em 1970 em Ein Gedi, local de uma antiga comunidade judaica. Os seus fragmentos foram preservados pela Autoridade das Antiguidades de Israel durante décadas.

Os investigadores utilizaram avançadas ferramentas de digitalização para “virtualmente desembrulhar” o pergaminho e ver o seu conteúdo.

O pergaminho é o mais antigo livro do Pentateuco – relacionado com os primeiros cinco livros das escrituras judaicas ou cristãs – já encontrados.

Não é, contudo, o mais velho pergaminho já encontrado. O mais antigo pertence aos Manuscritos do Mar Morto, que vão desde o século III Antes de Cristo até ao século II, adianta a revista.