O Patriarcado de Lisboa alertou hoje para a existência na rede social Facebook de um perfil falso do cardeal José Policarpo.

O Patriarcado de Lisboa avisa, numa mensagem colocada na sua página oficial na mesma rede social, que «alguém está a fazer-se passar pelo cardeal José Policarpo e a pedir amizade no Facebook».

»Essa página de amigo é falsa. É usurpação de identidade e, por isso mesmo, crime», acrescenta a mensagem.

«Não aceite esse pedido de amizade. Repasse este alerta», pede o patriarcado.

O diretor do departamento de comunicação do Patriarcado de Lisboa, Nuno Rosário Fernandes, explicou à agência Lusa que o falso perfil do cardeal José Policarpo foi detetado quando várias pessoas ligadas à Igreja, incluindo ele próprio, começaram a receber convites de amizade através do Facebook.

O convite fez desconfiar Nuno Rosário Fernandes, que trabalhou com José Policarpo no Patriarcado de Lisboa e conhece a relação do cardeal com as redes sociais.

Apesar de reconhecer a abertura de José Policarpo em relação à presença da igreja nas redes sociais, Nuno Rosário Fernandes afirma que pessoalmente o patriarca emérito «não lida» com estes meios.

O patriarcado denunciou o perfil falso na sua página oficial no Facebook e também através dos meios próprios de denúncia daquela rede social.

O patriarcado decidiu não apresentar queixa junto das autoridades.

O falso perfil do cardeal José Policarpo apresenta uma fotografia do antigo Patriarca de Lisboa, adiantando que «trabalhou na Igreja Católica», é de Goa e vive em Almada.

Segundo a informação disponível, o perfil terá sido criado há um dia e várias pessoas ligadas à igreja aceitaram o pedido de amizade, o que levou o patriarcado a divulgar o alerta.

José Policarpo, 77 anos, foi patriarca de Lisboa até julho do ano passado, quando foi substituído por Manuel Clemente.

Tornado cardeal em 2001, o atual patriarca emérito vive numa casa de oração, em Sintra.