O portal estatístico GlobalStat, uma parceria entre uma instituição portuguesa e outra italiana, foi esta sexta-feira formalmente apresentado em Florença, Itália, na presença do primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, que disse sentir-se orgulhoso.

"Sinto-me orgulhoso com este lançamento com uma fundação portuguesa", disse Passos Coelho numa curta intervenção, referindo-se à Fundação Francisco Manuel dos Santos, que em conjunto com o Instituto Universitário Europeu criou o portal GlobalStat.

Com o objetivo de, de forma fácil e gratuita, providenciar informações estatísticas a nível mundial referentes ao último meio século, o portal junta dados de mais de 80 fontes internacionais e sobre 193 países, agrupados em 12 temas e três áreas transversais.

"Sou um grande apoiante deste tipo de iniciativas", que permitem ter mais informação sobre "nós mesmos" e também de outros países, disse o primeiro-ministro, salientando a importância de uma sociedade informada e renovando o orgulho de Portugal estar associado a uma plataforma como a GlobalStat.

A plataforma tem estado em destaque nas jornadas sobre a União Europeia que estão a decorrer em Florença e que serão encerradas esta sexta-feira pelo primeiro-ministro português.

Na cerimónia de apresentação Nuno Garoupa, presidente da Fundação Francisco Manuel dos Santos, considerou a "plataforma amiga do utilizador sobre a globalização" e "um instrumento fundamental para compreender" o mundo de hoje.

"A GlobalStat irá ajudar académicos, intelectuais, jornalistas, opinion makers/formadores de opinião e o público em geral na sua ânsia por saber mais sobre as tendências das diferentes variáveis económicas, socias, ambientais e políticas", acrescentou.


Nuno Garoupa citou outro portal estatístico da Fundação, Pordata, para dizer que também a GlobalStat não produz dados novos, oferecendo antes "uma ferramenta informática que, embora sofisticada, é facilmente acessível a toda a gente, a custo zero para o utilizador".

Também pela Fundação, José Soares dos Santos salientou que não se pode entender o futuro da sociedade sem o reconhecimento de que se vive num mundo global, apelidando o novo portal de "um passo importante" para levar a Fundação "para as arenas internacionais e globais", ao mesmo tempo que ajuda a "expandir um conhecimento profundo sobre a posição de Portugal no mundo global de hoje", disse, citando o fundador da instituição, Alexandre Soares dos Santos.

Através do portal e em poucos segundos pode ficar a saber-se, por exemplo, que Portugal representa 0,15 por cento da população mundial, que a China tem mais de 130 vezes a população portuguesa, que por sua vez é 1.060 vezes mais numerosa do que Tuvalu e Nauru, os Estados com menos pessoas do mundo.

Ou saber-se que seis em cada 10 portugueses estão ligados à internet, mas que na Islândia quase toda a população está "online", e que em Timor-Leste, pelo contrário, apenas uma cada cem pessoas acede à "rede".

Ou ainda que as emissões de dióxido de carbono por habitante estão em Portugal abaixo da média europeia ainda que sejam hoje cinco vezes superiores às registadas há 50 anos. Ou até que em 2013 mais de 96 milhões de pessoas foram afetadas por desastres naturais, algo como nove vezes a população portuguesa.

O antigo ministro dos Negócios Estrangeiros Jaime Gama, o ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional e o secretário de Estado dos Assuntos Europeus participaram na cerimónia, apresentada por Gaby Umbach, diretora do portal.