Em 2014 existiam 6 empresas a vender produtos de realidade virtual, este ano eram já 27 - cerca de um décimo das marcas presentes na E3.

Destas, destaca-se a Fove - uma «startup» que em julho deste ano conseguiu um financiamento de quase meio milhão de euros no Kickstarter.

A Fove distingue-se das outras ofertas de realidade virtual por ter integrado no seu capacete tecnologia que permite determinar para onde os olhos do utilizador estão virados, conseguindo assim determinar o que estamos a focar a cada momento.

A realidade virtual não é virada só para os videojogos e esta tecnologia da Fove pode também ser usada por pessoas com dificuldades motoras.