O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, denunciou esta sexta-feira que a empresa Twitter e a «direita mundial» estão a tentar atacar as redes sociais de entidades governamentais, incluindo a sua conta pessoal que perdeu 6600 seguidores.

«Hoje descobrimos um ataque massivo da empresa Twitter e da direita internacional contra as contas dos patriotas bolivarianos, chavistas venezuelanos e de vários países do mundo», disse no palácio presidencial de Miraflores, declarações transmitidas pelas rádios e televisões locais.

Maduro pediu aos seus simpatizantes para reforçarem os esforços nas redes sociais para evitarem ataques massivos e sublinhou que, caso o Twitter lhe tire 10000 seguidores, devem conseguir mais 20000 e assim sucessivamente.