A NASA revelou mais imagens de Plutão, tiradas pela sonda espacial New Horizons, durante o fim-de-semana. As fotos recolhidas ajudaram os cientistas a detalhar a atmosfera e a superfície do planeta. 

Os cientistas juntaram várias imagens recolhidas pela sonda para criar uma imagem mais pormenorizada de Plutão. À imagem resultante foi adicionada coloração para obter uma imagem fidedigna do planeta.

“Nós sabíamos que a missão Plutão nos ia trazer algumas surpresas, e agora – 10 dias depois da aproximação ao planeta – podemos dizer que as nossas expectativas foram largamente ultrapassadas”, afirmou o cientista John Grunsfeld, da NASA, no dia 25 de julho.


Os cientistas afirmaram que, depois da aproximação, a aeronave virou a câmara novamente para Plutão, captando um eclipse solar, ao fotografar os raios de Sol por trás do planeta. Estas imagens mostram duas camadas de nevoeiro distintas, que pairam sobre a superfície do planeta e que fazem parte da sua superfície.


Legenda: foto do eclipe mostra gelo flutuante na atmosfera de Plutão [Fonte: NASA]

“Camadas de gelo flutuante, química exótica na superfície, cordilheiras montanhosas. A diversidade geológica do planeta em Plutão é emocionante”, disse o cientista, depois de analisar as fotografias recolhidas.


O gelo encontrado na superfície não é feito de água mas de uma mistura de nitrogénio gelado, monóxido de carbono e metano.

A temperatura média no planeta anão é de 234 graus negativos, o que faz com que grande parte dos gases existentes na Terra surjam congelados em Plutão.

Para além disto, os cientistas não esperavam conseguir imagens tão detalhadas das cordilheiras montanhosas, que revelaram sinais de atividade geológica recente no planeta.

“Só vimos superfícies assim em planetas ativos como a Terra e Marte”, garante o especialista.



Legenda: Nova imagem das cordilheiras em Plutão [Fonte: NASA]