Um objeto misterioso que se move a uma velocidade considerável, com cerca de 400 metros de diâmetro, está a dominar as atenções dos astrónomos.

Foi batizado como A/2017 U1. A agência espacial norte-americana NASA adianta que deverá tratar-se de um asteróide, ou um cometa, que será o primeiro corpo interstelar a entrar no sistema solar.

Por agora, os astrónomos estão focados em direcionar todos os telescópios espalhados pelo planeta para o A/2017 U1.

A finalidade é obter mais dados sobre este corpo interstelar para serem analisados, de maneira a que possa ser desvendada uma possível origem e composição do objeto.

A descoberta deste visitante interestelar aconteceu no dia 19 de outubro na Universidade do Havai.

O diretor do centro de estudos local da NASA, Paul Chodas, lembrou que "há muito está teorizado que tais objetos possam existir, asteróides ou cometas, que se movem entre estrelas e ocasionalmente passam pelo nosso sistema solar. Mas é a primeira vez que um desses objetos é detetado".

Até agora tudo indica que se trata de um corpo interestelar, mas só mais dados irão ajudar a confirmar esse facto", frisou  Paul Chodas.

O objeto interestelar não apresenta qualquer ameaça para o planeta Terra, de acordo com os astrónomos.

O mais perto que esteve do nosso planeta foi a cerca de 24 milhões de quilómetros, no dia 14 de outubro.

Davide Farnochia, astrónomo da NASA, assegurou que "podemos dizer, com confiança, que este objeto está já a sair do sistema solar e não irá voltar".