Imagens captadas pela «Nasa» desvendam carreiros formados por água corrente que datam de há 1.25 milhões de anos atrás. Esta descoberta pode representar o período mais recente da existência de água corrente no «planeta vermelho», reporta uma equipa de investigadores da Brown University de Rhode Island nos EUA à BBC.

O degelo de icebergs em «Promethei Terra», uma área montanhosa na parte sul do planeta, pode ter originado a existência de água corrente, como comprovam as crateras.

«Mas nunca pode ter havido tanta água que permitisse a formação de um lago onde pudesse nadar um peixe», explica Samuel Schon da Brown University. Este fenómeno «não durou muito tempo, mas aconteceu», acrescenta.

A datação foi possível pela contagem das camadas das crateras. Os investigadores afirmam que pode haver alguma margem de erro neste método, mas consideram aceitável o cálculo dos anos em que se deu o degelo que originou o fenómeno da água corrente.