Investigadores nos EUA descobriram, de forma quase acidental, um vírus que infeta os cérebros humanos e os torna mais estúpidos. Esse vírus nunca tinha sido observado em pessoas saudáveis e foi descoberto a afetar as funções cognitivas dessas pessoas, incluindo o processamento visual e a capacidade de concentração.
 
De acordo com o jornal britânico «The Independent», os cientistas da Johns Hopkins Medical School e da Universidade de Nebraska encontraram o vírus quando estavam a estudar micróbios na garganta, para uma outra investigação. De forma surpreendente, os pesquisadores descobriram ADN nas gargantas de indivíduos saudáveis que coincidida com o ADN de um vírus conhecido por afetar as algas verdes.

«Este é o exemplo perfeito de que os microrganismos “inócuos” podem afetar o nosso comportamento e cérebro», explicou Robert Yolken, um virologista que liderou o estudo original.

«Muitas das diferenças psicológicas entre a pessoa A e a pessoa B estão codificadas nos pares de genes que elas herdam dos pais, no entanto algumas destas diferenças são despoletadas por vários microrganismos que armazenamos e a forma como eles interagem com os nossos genes», explicou.


Dos 90 participantes do estudo, 40 testaram positivo pelo vírus das algas. Estes 40 participantes tiveram piores resultados nos testes desenhados para medir a velocidade e a fiabilidade do processamento visual. Os mesmos participantes também tiveram piores resultados nos testes que mediram a atenção.

A descoberta foi publicada no Proceedings of the National Academy of Sciences.
 
O corpo humano contém triliões de bactérias, vírus e fungos. A maioria destes microrganismos são inofensivos, mas esta descoberta prova que há alguns micróbios que têm um impacto fundamental nas funções cognitivas, ainda que os indivíduos sejam considerados saudáveis.