«Dentro de algum tempo, quando sentirmos algo de anormal, poderemos, através de um simples relógio, ter acesso a médicos robôs que estarão disponíveis para responder a todas as nossas questões, quase de graça. Isto representa uma revolução médica», disse na nona edição do QSP Summit, um evento dedicado ao marketing e à gestão que decorre na Exponor.

O professor de Física Teórica na City University of New York, que entrevistou mais de 300 cientistas em todo o mundo, esclareceu que tal poderá acontecer dentro de «10, 20 anos» e disse acreditar que, a médio prazo, será possível termos nas nossas casas de banho chips de ADN que vão permitir prever o aparecimento de um cancro com uma antecedência de dez anos.

«Se num bilião de células existir uma alterada, o chip vai detetá-la, permitindo assim prever o aparecimento de um cancro dez anos antes de as colónias de células darem origem a um tumor», justificou, explicando que esse diagnóstico poderá ser feito numa questão de minutos.

Pela primeira vez em Portugal, Michio Kaku antecipou ainda um alargamento das possibilidades de aceder à Internet.

«Vai passar a estar a todo o lado e em lado nenhum», diz, referindo-se à possibilidade de acedermos a ela através de lentes de contacto ou mesmo de um papel de parede inteligente, que servirá de computador.

«Este sistema será capaz de reconhecer o rosto das pessoas que temos à nossa frente e mesmo legendar, em tempo real, o que está a ser dito, caso se trate de um falante de uma língua estrangeira», explicou o norte-americano de 67 anos.

Reconhecido orador e teórico da física a nível mundial e autor de vários 'best-sellers' internacionais como «Mundos Paralelos» e «O Futuro da Mente», o coautor da chamada «teoria das cordas» defendeu ainda que o desenvolvimento da tecnologia abrirá portas a um "capitalismo perfeito".

«As lentes de contacto vão-nos dizer automaticamente qual o melhor produto e o melhor preço», disse.

Michio Kaku antecipou ainda que, dentro de cinco anos, os carros sem condutor, guiados com base no sistema de GPS, «estarão disponíveis para a classe média», relata a Lusa.

A nona edição do QSP Summit é dedicada ao tema «The Future Trends» (tendências do futuro) e aborda questões como o consumidor do futuro, o futuro do retalho, das marcas, das cidades, da saúde e da mente.