Os especialistas garantem que a primeira bola de fogo foi produzida por um fragmento do cometa Encke. O meteorito teria uma massa de apenas 100 gramas, mas deslocava-se a uma velocidade de 100 mil quilómetros por hora. O suficiente para gerar “uma bola de fogo impressionante, muito mais mais brilhante que a lua cheia”, por cima do Mediterrâneo.

 

"A bola de fogo formou-se a nordeste e morreu quando estava a cerca de 25 quilómetros da superfície do mar", explicaram os cientistas da Universidade de Huelva, em entrevista ao El Pais.

O fenómeno repetiu-se quando uma segunda bola de fogo cruzou os céus madrilenos. Este fragmento desintegrou-se na atmosfera, quando estava a 57 quilómetros da região de Hoyo de Manzanares.