Cientistas britânicos pretendem começar a testar sangue artificial pela primeira vez em humanos nos próximos três anos.

A inovação resultou de um consórcio, entre universidades e órgãos do governo do Reino Unido, que tem vindo a produzir células sanguíneas a partir de células estaminais.

Estas têm a particularidade de serem capazes de se transformar em qualquer outra célula do corpo humano e, segundo alguns especialistas, este poderá vir a ser um elemento chave na cura de algumas doenças.

Estas células são cultivadas em laboratório e poderão ser utilizadas para transfusões, evitando uma série de problemas relacionados com infeções e incompatibilidades.

Desta forma, e caso o projeto seja bem-sucedido, poderá aumentar a oferta de sangue disponível para transfusões.

Muitos países sentem grande dificuldade para atender esta necessidade, razão pela qual este recurso poderá tornar-se muito útil.

«Produzir uma terapia celular que leve em conta a escala, a qualidade e a segurança exigidas para testes clínicos em humanos é um desafio muito grande. Mas se tivermos êxito, poderemos garantir a populações de diferentes países o benefício dessas transfusões de sangue», explicou o professor da Univesidade de Edimburgo e responsável pelo projeto, Marc Turner.

«Os testes que faremos também fornecerão informação de valor a outros pesquisadores no desenvolvimento de terapias celulares», acrescentou.

Metodologia

Turner e a sua equipa de investigadores utilizam uma técnica que cria células do sangue a partir de células estaminais pluripotentes induzidas.

No final deste processo, as células são induzidas e estimuladas através de uma substância química que as transforma em sangue do tipo O.

Segundo o responsável do projeto, os testes deverão ser realizados em três pacientes com talassemia, uma doença que afeta o sangue e exige transfusões contínuas.

Apesar das perspetivas, Turner avisa que ainda será um longo caminho até que a produção de sangue artificial seja realizado em escala «industrial».

No Reino Unido, uma única transfusão tem o custo de cerca de 145 euros, contudo caso os testes se revelem positivos, os custos poderão reduzir substancialmente no futuro.