Reumatologistas portugueses destacam-se na Liga Europeia contra as Doenças Reumáticas, com uma distinção internacional de Raquel Campanilho Marques e com a liderança de João Eurico Cabral da Fonseca num programa científico.

Segundo a Sociedade Portuguesa de Reumatologia (SPR), a reumatologista Raquel Campanilho Marques, do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, recebeu a distinção durante o Congresso Anual da Liga por explorar a eficácia e a segurança de uma terapêutica que recorre à utilização de antagonistas do fator de necrose tumoral (anti-TNF)) num grande grupo de doentes com dermatomiosite juvenil – uma doença rara mas grave que afeta quer a pele quer os músculos.

O estudo envolveu 66 doentes com dermatomiosite juvenil ativamente tratados com agentes anti-TNF durante um período médio de 2.76 anos, revelando que tanto os músculos como a pele parecem melhorar após a terapêutica.

A dermatomiosite juvenil é uma doença rara grave que afeta a pele e os músculos, podendo provocar incapacidade variável e ser potencialmente fatal.

O trabalho de Raquel Campanilho Marques foi realizado no Institute for Child Health da University College London, no Departamento de Reumatologia do Great Ormond Street Hospital for Children NHS Foundation Trust, em Londres.

Também João Eurico Cabral da Fonseca, reumatologista do Hospital de Santa Maria e Professor na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, foi reconhecido no congresso da EULAR, sendo o primeiro português a liderar a comissão científica da Liga.

A Liga Europeia contra as Doenças Reumáticas (EULAR) é uma organização que representa sociedades científicas, associações de profissionais de saúde e organizações de pessoas com doenças reumáticas por toda a Europa que pretende promover, estimular e apoiar a investigação, prevenção, tratamento das doenças reumáticas e a reabilitação dos doentes.

O Congresso Anual da Liga está a decorrer até sábado em Londres.