O sistema judicial iraniano lançou hoje um ultimato ao governo para que proíba aplicações como WhatsApp, Viber e Tango, num ato que poderá significar o aumento das restrições do uso da Internet no país.

O Irão tem como política filtrar os conteúdos na Internet, o que torna as populares redes sociais Facebook, Twitter e Youtube inacessíveis sem recorrer à utilização de «software» ilegal.

«Depois da ordem dada pelo chefe do sistema judicial, têm agora um mês para tomar medidas técnicas para banir e monitorizar» o Viber, Tango e WhatsApp, disse o número dois da hierarquia judicial, Mohseni-Ejeie, numa carta enviada ao ministro das Telecomunicações, Mahmud Vaezi.