Um saudita foi condenado a três meses de prisão e 80 chicotadas por ter difamado uma cantora koweitiana no Twitter, alegando que esta tinha cometido adultério.

A lei islâmica prevê que quem acuse injustamente outro de adultério seja chicoteado. Um tribunal da Arábia Saudita entendeu que o homem tinha acusado a cantora Shams na rede social de adultério sem provas e divulgou montagens de fotos que mostravam a estrela pop do mundo árabe em cenas obscenas.

Shams venceu o processo contra o autor da página do Twitter escrita em árabe, que, aparentemente, justificou a atitude por ser fã de uma estrela rival, como conta o «Daily Mail»

O homem terá ainda de pagar uma indemnização.

A Arábia Saudita é um dos países no top da censura à Internet e às redes sociais.