O diretor para a unidade de media e publicidade da Microsoft Portugal disse à Lusa que o número de utilizadores do serviço Skype no mercado português mais que duplicaram no último ano, embora não revele números.

Segundo Miguel Albuquerque e Castro, que falava à Lusa sobre os 10 anos do Skype, que se comemora hoje, o serviço que permite chamadas de voz e vídeo gratuitos através da Internet «tem tido um crescimento muito grande em Portugal».

«Nos últimos 12 meses, o número de utilizadores mais que duplicaram em Portugal», escusando-se a dar mais detalhes, apontando que a nível mundial existem 300 milhões de clientes ativos.

Em Portugal «é muito utilizado para chamadas de vídeo, muito utilizado na comunicação com familaires distantes e também para chamadas de trabalho», adiantou.

Deu como exemplo o caso de pequenas e médias empresas (PME) que «conseguem ter videoconferências de forma eficiente e com poupança de custos», utilizando a Skype.

O Skype permite não só chamadas de voz e de vídeo entre utilizadores da mesma plataforma de forma gratuita, mas também o envio de fotografias ou documentos ou troca de mensagens escritas e tem integração com o Facebook.

A maioria dos serviços Skype são gratuitos, com exceção das chamadas efetuadas para um telefone fixo ou móvel ou em videoconferências entre mais de duas pessoas.

«A nível mundial, tal como em Portugal, a utilização da subscrição é feita a um nível reduzido», sendo que o modelo de negócio do Skype «está assente na publicidade».

Em Portugal, «a publicidade no Skype tem vindo a crescer, uma vez que os anunciantes consideram uma marca com potencial muito grante, não só no computador como no telemóvel», acrescentou.

Questionado sobre o futuro do Skype, Miguel Albuquerque e Castro adiantou que este «passa pela sua integração com ferramentas e serviços da Microsoft».

Lançado a 29 de agosto de 2003, o Skype foi comprado pela Microsoft em 2011, tendo sido considerado pelos analistas uma das grandes apostas da tecnológica.

O Skype conta com 300 milhões de utilizadores, de acordo com dados da Microsoft.