A raiva continua a custar a vida a muitas crianças no mundo inteiro.

Ainda que desvalorizado, por vezes, os números falam por si e justificavam uma maior atenção e apoio ao problema.

Saiba que a raiva atinge 150 países, que 40 por cento das crianças até aos 15 anos já foram mordidas pro animais. Os cães provocam 99 por cento das mortes em humanos por raiva.

Todos os anos, no mundo, 15 milhões de pessoas são tratadas após a exposição à raiva. Há um valor estimado de 55 mil mortes anuais provocadas pela raiva.

Os números são grandes, mas a solução torna-se até mais barata do que o tratamento. Há pouco investimento das autoridades sanitárias e veterinárias na vacinação de cães. O alerta é dado pela organização mundial de saúde anima, em conversa com a BBC.

Um gesto simples: tentar vacinar os caninos. O vírus transmite-se facilmente pelo contacto com a saliva dos animais e, quando não é tratada, ataca o sistema nervoso dos humanos, atrofiando o corpo até à morte.

Louis Pasteur e Emile Roux inventaram a vacina em 1885 e, desde então, milhões de vidas têm sido salvas, mas ainda não é o suficiente.

Se no mundo ocidental, esse tratamento é mais fácil, nas zonas mais pobres de África e da Ásia, a doença torna-se fatal.

O alerta surge numa altura em que o mundo entrou em pânico com a deteção de casos de MERS. Ora, desta última são conhecidos duas centenas de casos no mundo, muito longe dos milhares provocados pela raiva.