Investigadores japoneses conseguiram recriar um fígado humano em laboratório a partir de células reprogramadas extraídas da pele. O resultado, anunciado na quarta-feira, possibilita novas perspetivas para quem aguarda um transplante.

O estudo da Universidade de Yokohama baseou-se numa técnica que utiliza células pluripotentes induzidas. Estas são células adultas reprogramadas para obter as propriedades das células embrionárias, o que permite a obtenção de quatro genes que se perdem na fase adulta.

Os cientistas implantaram num rato de laboratório, com problemas hepáticos, um fígado com as propriedades e tecidos de um fígado humano. O órgão conseguiu produzir proteínas específicas que agem na limpeza e filtragem, o que aumentou a esperança de vida do animal.

Takanori Takebe, um dos investigadores, é otimista em relação ao sucesso e futura aplicação dos resultados do estudo. «A nossa pesquisa é válida», disse o responsável, citado pela AFP.

Contudo, os cientistas concordam que ainda é preciso algum tempo para que as conclusões sejam aplicadas na medicina regenerativa.