Um novo estudo da Universidade de Leipzig promete aguçar a rivalidade entre irmãos, ao concluir que os mais velhos são mais inteligentes que os mais novos. A investigação vem de encontro a outros estudos que já tinham mostrado uma forte correlação entre a ordem de nascimento e os resultados nos testes de QI.

De acordo com os investigadores, que analisaram três estudos sobre o tópico, a cada nascimento na família as crianças tendem a apresentar um QI mais baixo. No entanto, os especialistas acreditam que isto se deve a um fator ambiental e não biológico.

Os cientistas sublinham, contudo, que as diferenças são pouco significativas. Apesar dos irmãos mais velhos serem, tecnicamente, mais inteligentes, a vantagem em relação aos mais novos é apenas de 1,5 pontos nos testes de QI.

A razão para tal acontecer ainda não é clara, mas pode dever-se ao tempo a sós com os pais que os filhos mais velhos têm, antes do irmão mais novo nascer.

Segundo o The Telegraph, os resultados sugerem que os filhos mais velhos têm menos liberdade e mais responsabilidades do que os mais novos, acabando por sentir mais pressão para serem bem-sucedidos. Para além disto, os irmãos mais novos tendem a achar que são menos inteligentes.
 

“Enquanto os irmãos mais velhos recebem a atenção total dos pais, pelo menos durante alguns meses ou anos, os que nascem mais tarde vão ter de partilhar desde o início”, disse Julie Rohrer, uma das autoras da investigação.

“Outro fator explicativo é o do mais velho como tutor: o mais velho pode ensinar as crianças que lhe seguem, explicando-lhes como o mundo funciona. Para ensinar outras pessoas é preciso maiores capacidades cognitivas”.