Quem não se lembra do Ice Bucket Challenge? Um balde de água gelada pela cabeça abaixo, um arrepio que percorre o corpo todo e um grito saído das profundezas do ser. O desafio do balde de gelo foi lançado em 2014 nas redes sociais para ajudar doentes com esclerose lateral amiotrófica (ALS, na sigla em inglês), uma doença incapacitante e letal, que aprisiona uma mente sã num corpo paralisado.

Agora, dois anos depois, a ALS Association, uma organização sem fins lucrativos que recolhe fundos para a investigação e ajuda pacientes com esclerose lateral amiotrófica, anuncia que o desafio deu frutos: foi identificado um novo gene relacionado com a ALS e a descoberta pode conduzir a novas formas de tratamento.

De acordo com a BBC News, o gene, chamado NEK1, foi identificado na sequência do projeto de investigação MinE, que procurou sequenciar os genomas de pelo menos 15 mil pessoas com esclerose lateral amiotrófica.

“O desafio do balde gelo permitiu à ALS Association investir dinheiro no projeto MinE para criar um grande repertório de amostras necessárias para este tipo de investigação", afirma, em comunicado, Lucie Bruijn, da Associação ALS.

A esclerose lateral amiotrófica também é conhecida como doença de Lou Gehrig. É uma doença neurodegenerativa, em que os pacientes perdem a força muscular, o que conduz à paralisia. As pessoas que sofrem da doença morrem geralmente dois a cinco anos após o diagnóstico.

O projeto MinE resulta da colaboração entre 80 investigadores de 11 países.

O desafio do balde de gelo permitiu arrecadar 115 milhões de dólares (quase 105 milhões de euros), com pessoas a despejarem água fria sobre si mesmas e a postarem o vídeo nas redes sociais, que acabaram inundadas por essas imagens no verão de 2014.

Mais de 17 milhões de pessoas publicaram vídeos no Facebook, incluindo muitas celebridades, de Cristiano Ronaldo a José Mourinho, ao jornalista da TVI José Alberto Carvalho, passando por Oprah Winfrey, Mark Zuckerberg, Britney Spears até George W. Bush. Esses vídeos foram visualizados por 440 milhões de pessoas em todo o mundo.