A Agência Europeia para o Medicamento deu um parecer científico favorável à vacina contra a malária.

A Organização Mundial de Saúde vai, por conseguinte, ponderar o uso em massa desta vacina em crianças ainda este ano, mas, a existência, pela primeira vez, de uma vacina para a infeção é, por si, um sinal de esperança, principalmente no território africano.

A malária mata uma média de 584 mil pessoas por ano, maioritariamente crianças com menos de cinco anos, em África.
 

Ripley Ballou, coordenador da investigação à vacina, disse à BBC que “este é um momento muito importante. Tenho trabalhado nesta vacina nos últimos 30 anos. É um sonho tornado realidade”. 

A vacina contra a malária foi desenvolvida pela GSK, com o apoio da Fundação Bill Gates.
 
Investidos mais de 500 milhões de euros, o fármaco já foi testado em onze locais diferentes em África, onde em média, por minuto, uma criança morre vítima da doença.