Investigadores da Universidade de Ciência de Tóquio criaram glândulas salivares e glândulas lacrimais utilizando células precursoras de ratos, um avanço na busca de órgãos de bioengenharia para transplante, divulga hoje a Lusa.

O trabalho, publicado na revista científica Nature Communications, tem potencial para ser utilizado no tratamento do mau funcionamento glandular causador das síndromes do «olho seco» ou «boca seca», que afetam dezenas de milhões de pessoas em todo o mundo, disseram os cientistas.

Ambas as glândulas transplantadas uniram-se bem ao tecido adjacente, ligando-se aos vasos e fibras nervosas, adiantaram os cientistas à agência France Presse.

As glândulas lacrimais produziram lágrimas e as salivares responderam normalmente a estímulos da comida e protegeram o rato contra a infeção oral. No entanto, a equipa de Tsuji advertiu que é necessário criar um banco de células estaminais adequadas e resolver «vários problemas» antes de se poderem usar as glândulas secretoras de bioengenharia.