Portugal foi um dos 13 países a aderir ao projeto “No More Ransom”, que tem como objetivo combater o 'ransomware', um tipo de vírus informático que bloqueia os computadores exigindo o pagamento de um resgate, anunciou a Europol, nesta segunda-feira.

De acordo com uma nota divulgada pelo Serviço Europeu de Polícia, três meses após o lançamento do projeto, pela polícia holandesa, Europol, Intel Security e Kaspersky Lab, as autoridades judiciárias de mais 13 países juntaram-se a esta iniciativa conjunta com o setor privado, designadamente Bulgária, Colômbia, França, Hungria, Irlanda, Itália, Letónia, Lituânia, Portugal, Espanha, Suíça e Reino Unido.

Segundo a Europol, este projeto, que conta com o apoio da Eurojust e da Comissão Europeia, já permitiu a mais de 2.500 vítimas desbloquear os seus dispositivos informáticos sem pagar o resgate exigido pelos piratas informáticos, estimando a polícia europeia que tal tenha privado os cibercriminosos de 1,35 milhões de euros em “resgates”.

A Europol sublinha que o 'ransomware' é uma das grandes ameaças da atualidade, e embora os alvos sejam na maior parte da vezes os computadores ou outros dispositivos informáticos para uso pessoal, também as redes de empresas ou mesmo de governos são afetadas por este género de atividade criminosa.