A presidente da Yahoo, Marissa Mayer, disse, esta quarta-feira, que temia ser presa por traição caso recusasse cumprir as exigências das agências norte-americanas de espionagem na entrega de dados dos utilizadores das ferramentas da empresa.

A dirigente da Yahoo proferiu estas declarações quando confrontada sobre o que está a fazer para proteger os utilizadores do Yahoo da «tirania governamental», enquanto participava na conferência TechCrunch Disrupt, em São Francisco.

Marissa Mayer garantiu que a Yahoo escrutina e luta contra os pedidos do governo norte-americano ratificados pelo Tribunal de Vigilância de Informações Estrangeiras, mas quando a empresa perde a batalha tem de agir como lhe indicam ou arrisca ser tratada como traidora.