As pessoas baixas enfrentam um maior risco de vir a ter artérias obstruídas, segundo um estudo divulgado hoje, que confirmou a relação entre altura e doença cardíaca através de análises genéticas.

O estudo, liderado por investigadores da Universidade de Leicester e publicado hoje no Jornal de Medicina de New England, é o primeiro a demonstrar que o risco é maior devido a uma variedade de genes que influenciam se uma pessoa é alta ou baixa e não fatores como pobreza ou má nutrição.

Os investigadores examinaram 180 variações genéticas de uma base de dados de quase 200 mil pessoas com e sem doença cardíaca coronária, causada por acumulação de placas nas artérias e que pode provocar ataque cardíaco.

É a causa mais comum de morte prematura no mundo.

Os investigadores descobriram que cada 6,3 centímetros na altura de uma pessoa afetam o seu risco de doença cardíaca coronária em 13,5%.

Por exemplo, uma pessoa com um 1,50 metros tem mais 32% de probabilidades de desenvolver uma doença cardíaca do que uma pessoa com 1,68 metros, refere o estudo.

Os investigadores esperam que o estudo mais aprofundado dos genes relacionados com a altura e as doenças cardíacas possa levar a uma melhor prevenção e tratamento no futuro.