Há um medicamento para osteoporose que pode prevenir o cancro da mama e dos ovários.

A descoberta poderá ajudar milhares de mulheres que nascem com mutações no gene BRCA1, que que eleva o risco de cancro de mama e nos ovários, como era o caso de Angelina Jolie.

Cerca de uma em cada mil mulheres têm essa mutação, o que aumenta de 12,5% para 58% a probabilidade de virem a ter cancro.

Agora, cientistas australianos identificaram as células que causam a doença e uma forma de prevenir que elas se tornem cancerígenas, já que perceberam que essas células são “abastecidas” pela mesma proteína que destrói os ossos através da osteoporose.

Assim, o medicamento utilizado para a osteoporose pode ser útil na prevenção da formação do tumor.

É muito emocionante pensar que podemos estar no caminho para o “cálice sagrado” na investigação do cancro, encontrando uma forma de prevenir este tipo de cancro da mama nas mulheres com elevado risco genético”, explicou Jane Visvader, um dos investigadores do estudo.

Todos os anos, milhares de mulheres com elevado risco genético de desenvolverem cancro submetem-se à mastectomia preventiva. Se se confirmarem estes avanços, será possível conseguir uma opção não cirúrgica para prevenir o cancro da mama nessas mulheres.