Os Estados-Membros da ESA aprovaram o lançamento, para 2020, da sétima missão do programa de satélites de observação da Terra, que visa estudar a biomassa das florestas tropicais, anunciou nesta quinta-feira a Agência Espacial Europeia.

A «luz verde» para a sétima missão do Earth Explorer foi dada na quarta-feira, refere uma nota da ESA, organização da qual Portugal é membro.

A missão pretende determinar, com maior precisão, a quantidade de biomassa e carbono armazenadas nas florestas tropicais.

Justificando a importância da missão, a ESA refere que a biomassa tropical «é a chave para compreender o clima da Terra».

A Agência Espacial Europeia espera que os dados obtidos possam, ainda, ser usados para monitorizar a ionosfera, os glaciares e os lençóis de gelo e para mapear a subsuperfície geológica dos desertos e a superfície topográfica abaixo da densa vegetação.

O programa de satélites Earth Explorer destina-se a melhorar o conhecimento do «planeta azul».

De um total de oito missões previstas, já foram lançadas quatro, que permitem estudar, com mais rigor, a salinidade dos oceanos, a gravidade, o campo magnético, a humidade do solo e a criosfera (água das grandes massas de gelo, como os glaciares e as calotes polares).

Futuras missões, calendarizadas até 2016, irão fornecer novas informações sobre o vento e de como as nuvens e os aerossóis interferem na quantidade da radiação solar.