El Hierro é a menor ilha das Canárias e prepara-se agora para se tornar a primeira a abastecer-se com eletricidade de forma totalmente autónoma, recorrendo às energias renováveis. A força do vento e da água serão suficientes.

O vento que sopra durante todo o ano nos 278 quilómetros quadrados do território é precioso para o projeto, mas «não é constante». Por isso, e de acordo com o diretor-geral da central elétrica Gorona del Viento, Juan Manuel Quintero, surgiu a ideia de combinar a energia eólica com a hidráulica.

O esquema, único no mundo, é constituído por uma instalação que une cinco geradores elétricos a dois repositórios de água. Este sistema «dá-nos garantias de abastecimento», destaca Quintero.

A inauguração está prevista para o final de junho. Nos primeiros meses, os geradores apenas atenderão a 50 por cento da energia da ilha, contudo espera-se que chegue aos 100% nos meses seguintes.

Segundo o «Le Monde», esta modificação irá permitir que a reserva de biosfera da Unesco pare de emitir 18 700 toneladas de CO2 por ano e de consumir 40 mil barris de petróleo. Como recurso excecional o gerador elétrico a diesel permanecerá de reserva.

«É um projeto considerado, a nível mundial, um dos pioneiros e mais importantes na produção de energias renováveis», afirmou o presidente do Cabildo, a instituição administrativa local, Alpidio Armas.

«A verdadeira novidade de El Hierro é que os técnicos conseguem, sem estar ligados a uma rede nacional ou insular, garantir uma produção elétrica estável, gerada 100% por energias renováveis, superando as intermitências do vento», explica o historiador do Instituto de Pesquisas para o Desenvolvimento em Montpellier Alain Gioda.

O projecto não pretende ficar por aqui e até 2020 pretende criar uma frota automobilística gerida a eletricidade, graças a um acordo com a Reanult-Nissan.

«El Hierro pode ser uma espécie de laboratório», diz Armas.

Localidades como Samso, na Dinamarca, Oki, no Japão, Aruba, na Holanda e a Indonésia já terão manifestado interesse no projeto.

Com uma taxa de desemprego de 32%, El Hierro pretende atrair mais visitantes. «Não podemos renunciar aos lucros que o turismo dá, mas não queremos um turismo de massa», afirmou o presidente do Cabildo.