Depois de ter sido noticiado que o Estado Islâmico estaria a distribuir propaganda através da aplicação Telegram, o serviço de mensagens encriptadas desativou 78 canais, associadas ao EI. A ação teve lugar depois da divulgação de uma mensagem do EI, que dava “dicas” sobre como evitar que as suas contas sofressem ataques informáticos.
 

“Ficámos perturbados ao saber que canais públicos do Telegram estavam a ser utilizados para divulgar propaganda do EI. Estamos a avaliar todas as denúncias que nos chegaram e estamos a tomar ações para bloquear esses canais. Por isso, esta semana bloqueámos 78 canais associados ao EI, em 12 línguas diferentes”, afirmou a empresa, num comunicado citado pelo The Telegraph.


As mesmas declarações foram deixadas pelo Telegram, no Twitter.
 

O Telegram é um serviço de mensagens que nasceu há dois anos e que funciona de forma similar ao WhatsApp, mas que se centra na privacidade das mensagens e na segurança das comunicações. Tem “chats secretos” que usam encriptação, tanto para quem recebe as mensagens como para quem as recebe, e tem um serviço de eliminação automática de mensagens.

Estas características tornaram a aplicação apelativa, sobretudo depois das denúncias de Snowden, que mostrou que a NSA intercetava as mensagens dos norte-americanos. As mesmas características motivaram o uso da plataforma pelo EI, especialmente depois de milhares de contas do Twitter pertencentes ao grupo extremista terem sido desativadas.

A app tem mais de 60 milhões de utilizadores ativos, em todo o mundo.