A radiação cósmica está a destruir o revestimento da Estação Espacial Internacional (EEI), segundo um estudo de um grupo de cientistas russos divulgado esta quinta-feira, em Moscovo.

«No final do ano passado, fizemos um trabalho para o Centro Espacial Jrúnichev e obtivemos resultados surpreendentes. O revestimento, a proteção da estrutura da EEI, está a ser destruída pela radiação», disse Ielena Deshévaya, do Instituto de Questões Médicas e Biológicas (IPMB) da Academia de Ciências russa.

A cientista, que apresentou os resultados da investigação numa conferência na Universidade Técnica Báuman de Moscovo, explicou que este fenómeno se deve à composição do revestimento da plataforma espacial, que tem poliamidas, pouco resistentes à radiação.

«Toda a proteção da estrutura da EEI está a ser destruída», advertiu Deshevaya, citada pela agência Interfax.

A cientista explicou que o IPBM submeteu ao efeito dos neutrões os materiais utilizados no fabrico do revestimento da plataforma espacial e estabeleceu-se, num primeiro momento, que a radiação os fortalece, mas logo depois os debilita e torna-os mais frágeis.

Este problema, acrescentou a russa, pode ser resolvido se forem utilizados polímeros mais resistentes à radiação.

A EEI é um projeto internacional em que participam vinte países e que conta com financiamento até 2024, podendo continuar a funcionar até 2028.

A bordo da plataforma espacial encontra-se uma expedição integrada por seis tripulantes: os russos Oleg Kotov, Sergei Riazanski e Mikail Tiurin, os norte-americanos Rick Mastracchio e Mike Hopkins e o japonês Koichi Wakata.